Menu

terça-feira, 23 de outubro de 2012

O encontro.



Data e hora marcada mãos frias e tremulas, olhos que buscam sem ter certeza do que encontrar, o coração disparado os pés não conseguem se aquietar.
Em alguns minutos o mundo irá parar.
Flashbacks vão passar lentamente... toda a espera, toda saudade tudo pairando no ar.
Angústia, misturada com paixão, envenenada com medo, atormentada de saudade, com uma pitada de nervosismo é a combinação perfeita para encher qualquer um de dúvidas.
Mais uma vez olhando para o celular... passaram 55 segundos, desde a última espiadela. 
Nenhuma mensagem, nenhuma ligação, nada da hora passar.
24 horas por dia, 7 dias por semana, 30 dias cada mês, as vezes 1 á mais, 365 dias de um ano.... 2 anos - 7 meses - 2 semanas - 3 dias - 8 horas e o que mais incomodava nesse tempo todo eram os últimos 20 minutos antes do tão esperado abraço.
A multidão se aglomerava ás portas do desembarque pareciam esperar atentas algum tipo de espetáculo. 
Mais uma volta, olhares vagos, perdidos consolados pela espera, buscam mais uma vez que um audacioso minuto tenha corrido antes da hora. Nada! 
Se passam mais 2 minutos. 
E a eternidade naquele momento seria como um entardecer qualquer. 
As portas começam sua dança abrem e fecham sem perder um só passo, as pessoas por entre elas passam sem nem ao menos notar aquele andar firme de quem sabe o que espera. 
E a imaginação começa a fluir foram 22.976 horas de espera, de pensamentos, de alusões,  de emoções vividas, sem se viver.
Quantas coisas a dizer, mostrar, comparar, conhecer.
E as palavras vão se acumulando naquela mente frenética, uma explosão de pensamentos a cada 30 segundos.
E mais uma vez o horário é consultado dessa vez com um sorriso no rosto parece que as horas estão apressadas. Se foram 15 minutos...
Do outro lado o que estaria acontecendo, e como agir, como reagir, o que dizer?!
Os olhos que vagavam perdidos encontram um ponto em que olhar,  aos poucos os barulhos ao redor desapareciam, lentamente também os espectadores se distorciam deixando de ser visíveis  não mais fazendo parte do cenário.
Ah os olhos, as portas da alma, quando dois olhares se cruzam, se entrelaçam, se encontram,  conversam sem pronunciar palavras. Os passos tornam-se saltos no tempo, os dedos em câmera lenta se encaixam, o toque no rosto, e ás lágrimas...
O mundo inteiro parado por longos 60 segundos. 
O abraço apertado trazendo para perto aquilo que tanto tempo esteve longe,  unindo dois corpos que as almas já se pertenciam... e o ritual infinito é selado pelo encontro dos lábios quentes. 
O mundo volta ao normal... as vozes parecem  mais altas.  
E as palavras nem precisam ser ditas, se sabe o que quer dizer! 
O Encontro acontece quando tem que acontecer! 
By:(P.)



(Eu vejo isso quase sempre no Aeroporto acho tão intrigante fico imaginando qual a história por trás dos abraços apertados dos gritos os beijos apaixonados. Por isso o texto de hoje!)

3 comentários:

  1. Muito interessante a história, gostei do modo como narrou.

    Eu também fico imaginando a história por trás dos abraços, mas não no aeroporto, porque aqui na minha cidade não tem :D

    ResponderExcluir
  2. Mt legal a história flor, eu curti!

    http://ianapaulinhaaaa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Realmente mais um texto mto bem escrito. Esse detalhou de forma singular e bonita os encontros, a ansiedade antes deles e como o tempo parece parar quando finalmente acontece. Show!

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião! Acredite ela é muito importante para mim!
Obrigada por ter passado aqui!



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...