Menu

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Psicose...


Tentei fechar os olhos, respirar e encontrar onde estava minha paz.

Não encontrei. 
O turbilhão de imagens que se formavam em meio ao barulho na minha mente me sufocava.

Sentia arder a garganta pedindo pelo ar que naquele instante me faltava.
A fúria brotava do mais longe dentro de mim, não era possível controlar.
Reverter o que o que estava prestes a acontecer.
O transe assumiu o controle, os olhos queimavam o sangue escorria por entre os dedos, qualquer barreira seria destruída.
Tudo mudou de cor, tudo mudou de forma, era como se visse de uma perspectiva alheia, o que eu fazia inconsciente.
Doente. 
Foi assim que me vi.
Torturada pelas dores que alma não expressa! 
Psicótica e destrutiva.
Teve fim.
As lágrimas caíram ao lado do sangue derramado e os olhos trêmulos puderam ver os arranhões que sobraram. Feridas. 
Cicatrizes que o tempo não cura, disfarça!


Pri Fontoura



PS: Adoro o filme dessa imagem! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião! Acredite ela é muito importante para mim!
Obrigada por ter passado aqui!



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...